segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Cascais Ambiente . Help the victims !!!.

 Continuam os atentados à natureza e, no caso presente, aos pobres passarinhos que por esta altura do ano migram do continente europeu para o africano afim de passarem o inverno. Estas fotos obtive-as nas margens da ribeira das Vinhas junto á ponte de ferro que a transpõe  ao fundo do Vale Travesso ali nas chamadas Penhas do Marmeleiro, em Murches. Como se não bastasse, por todo o caminho que percorri de bicicleta, encontrei vestígios das ratoeiras que um ou mais energúmenos ali colocam em plena luz do dia, a qualquer hora e na maior das impunidades. Percorri uns poucos Km e, por mero acaso, encontrei na Qtª do Pisão dois funcionários da Cascais Ambiente com quem troquei umas impressões sobre o caso demonstrando-lhes a minha indignação. Afirmaram nada poderem fazer ainda que os actos criminosos ocorressem em propriedade sob a sua jurisdição como afirmaram e fácilmente se comprova, o que compreendi, dado não serem agentes policiais.  Porém estando   fardados e com uma carrinha pick-up ao seu dispor, em meu entender, bastaria a sua presença para pelo menos dissuadir os eventuais criminosos. Para o efeito deslocar-se-iam ao local retirariam as ratoeiras e abordariam o, ou, os sujeitos.
Porém... se até alguns se dão ao luxo de ali erguerem " cancelas " como se tudo aquilo fosse privado.

Uma pergunta...de que anda a Polícia Municipal, ou a G.N.R. com a sua S.E.P.N.A. à espera para ali passarem ? Idealmente em dias de céu limpo, com a serra sem nevoeiro e um ligeiro vento norte / nordeste ou leste. É certinho que são bem sucedidos.


Depenar as avezinhas no local do atentado e deixar os vestígios.
Até um assento o criminoso ( ou os criminosos) ali têm

 Enfim...mentalidades que se  inserem  no contexto de restante património que tanto custou a edificar e que está no mais completo abandono de que são exemplo flagrante o passadiço das  Penhas do Marmeleiro.


Era assim ...

Abandono completo.

Porquê ?

                     Após o incêndio de meados de Julho ainda resta isto por queimar...será?


  E, no entanto, em Vale Travesso do passadiço  pouco resta e mesmo esse pouco está à mercê do fogo o que aliás sucedeu há bem pouco tempo com a destruição de parte dele. Houvesse vontade de quem de direito e nada disto se veria. Quanto custou o combate a esse incêndio ?

Quatro meios aéreos, dois pesados " Canadair " e dois ligeiros a que acresce dezenas de veículos dos sempre obnegados bombeiros os quais até sofreram na pele alguns ferimentos. Mas isto é outra história que um dia será contada.


Escusadamente.

O fim do passadiço ?

Porquê ?

Porquê ?

Porquê ?

Mas há mais e mais situações que ocorrem pelo concelho sem que haja aparente vontade de as atenuar.
Digo isto como cascalense e não gostaria de serem  estas minhas palavras conotadas com qualquer critica a alguma organização partidária. Nada disso. Amo a minha terra e por ela pugno.