terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Da vaidade...

            A vaidade está tão enraizada no coração do homem,
   que um soldado,um trolha,um cozinheiro,um carregador,
   se gabam e querem ter os seus admiradores.E até os,
   filósofos o querem.E aqueles que escrevem contra querem,
   ter a glória de haverem bem escrito.E os que lêem querem,
   ter a glória de os haverem lido.E eu,que escrevo isto,tenho,
   talvez esse desejo.E talvez aqueles que o lerem...


   Blaise Pascal
   " Pensamentos"
   

  

Uma consolação

         Um dia de viagem.

        Uma manhã de inverno.




  Castelo de Vide.



Fevereiro. Dia, nove,quarta - feira.
Ano 2011.

De riachos pequenos, se fazem os grandes rios

                
                    A  água corre sempre para o mar.


                   Fevereiro / 2011.
                         

Em breve...ruínas.




             Ainda há destes tesouros escondidos,por esse velho Portugal.

            Oledo.                  Janeiro deste ano de 2011.

Saudades de outros tempos

 



Ao olhar estes testemunhos do passado recente ocorre-me que em todo o lado cabe a saudade.

Novo Ano.

Neste novo ano é usual como em todos os outros fazer-mos votos disto e daquilo.Assim seja.
Saúde,paz,pão,educação e, claro, o vil metal. Acrescento, também: Um voto de longa vida aos meus inimigos para que possam assistir á minha retumbante vitória sobre aquilo que desejam para mim.

Mantenho uma ideia interessante, acerca de nós, que vi um dia destes na blogosfera.  Compartilho-a connvosco!

    Não somos seres humanos a tentar uma experiência espiritual.

  Somos seres espirituais a tentar uma experiência humana.





No sonho dos gatos existe um eterno pássaro colorido


  ...e uma árvore mais alta do que o latir dos cães.

...do livro de Francisco Duarte Mangas.
     "pequeno livro da terra "
 

Perdizes acasaladas.




         

As perdizes...as bravas habitantes dos nossos campos. Olhem como elas estão sempre alerta. Aqui um raio de Sol incide sobre aquele pedaço do monte.Por ali andam quando começam a formar casais..





  
Aguarela 
Formato :30,5 x 45,5.

FEVEREIRO

    Quando não chove em Fevereiro,nem bom prado nem bom celeiro.

Fevereiro coxo,em seus dias vinte e oito.

Eu sou o Fevereiro,mês dos temporais;destruo casa e rebento portais.

Em Fevereiro chega-te ao fumeiro.

Chuva em Fevereiro,bom prado e bom centeio.

Em Fevereiro chuva,em Agosto uva.

Em Fevereiro,frio ou quente,chova sempre.

Em Fevereiro,sobe ao outeiro; se vires o trigo a luzir,põe-te a rir; se o vires verdejar põe-te a chorar.