terça-feira, 31 de março de 2015

A Roda da Fortuna.

Sesostris governante egípcio, tendo vencido vários outros poderosos senhores, levava-os cativos atrelados ao seu carro de triunfador.
   Um destes, olhava para as rodas do carro de Sesostris.
   Este notou-o e perguntou-lhe o motivo.
   E ele respondeu:
   - Estou a olhar para essas rodas e meditando que a parte que está de cima, em breve desce até à lama e vice versa.
  Assim pode ser o carro da vossa fortuna.
   Hoje estais vencedor; amanhã podeis estar cativo.
   Sesostris pensou algum tempo e depois pôs os cativos em liberdade.
  
Sesóstris I
Faraó
Senuseret I ou Sesóstris I foi o segundo Faraó da XII Dinastia que governou a região por trinta e quatro anos após a morte do pai. Seu reinado corresponde ao auge da literatura e artesanato egípcio. Wikipédia

   Subjuga com cordas os cornos dos bois e com benefícios o coração dos homens.
   Não devemos orgulhar-nos na prosperidade, nem desanimar na desgraça.

  

domingo, 29 de março de 2015

Vila de Páscoa

Bem no centro de Cascais mais exactamente no Jardim Visconde da Luz estão disponíveis para serem adquiridos diversos produtos na sua maioria de origem artesanal. Basta visitar-mos as pequenas casas de madeira que ali se encontram para essa finalidade. Dizem os responsáveis que esta iniciativa como  outras semelhantes que por ali ocorreram visam e cito " Dinamizar a vivência urbana e o comércio local nesta quadra festiva é  o objectivo desta iniciativa, que assume a denominação de " Vila de Páscoa".
  Estive por lá e contribui comprando meia dúzia de produtos. A escolha é diversificada entre queijos, vinhos, roupa, brinquedos além de diversos acessórios.

sábado, 28 de março de 2015

Muda a hora !

Datas de Mudança da Hora


____________________________________
HORA DE INVERNO E VERÃO PARA 2015

Portugal continental
Em conformidade com a legislação, a hora legal em Portugal continental:
  • será adiantada  60 minutos à 1 hora de tempo legal (1 hora UTC) do dia 29 de Março e atrasada  60 minutos às 2 horas de tempo legal (1 hora UTC) do dia 25 de Outubro.

Região Autónoma da Madeira
Em conformidade com a legislação, a hora legal na Região Autónoma da Madeira:
  • será adiantada  60 minutos à 1 hora de tempo legal (1 hora UTC) do dia 29 de Março e atrasada  60 minutos às 2 horas de tempo legal (1 hora UTC) do dia 25 de Outubro.

Região Autónoma dos Açores
Em conformidade com a legislação, a hora legal na Região Autónoma dos Açores:
  • será adiantada  60 minutos às 0 horas de tempo legal (1 hora UTC) do dia 29 de Março e atrasada  60 minutos à 1 hora de tempo legal (1 hora UTC) do dia 25 de Outubro.

____________________________________
DATAS DE MUDANÇA DA HORA ATÉ 2016
Comunicação da Comissão Europeia respeitante às disposições relativas à hora de Verão
Jornal Oficial nº C 061 de 14/03/2006 p. 0002 – 0002
Nos anos de 2007 a 2011, inclusivé, o início e o termo do período da hora de Verão são fixados, respectivamente, nas datas seguintes, à 1 hora da manhã, tempo universal:
  • 2007: domingo 25 de Março e domingo 28 de Outubro,
  • 2008: domingo 30 de Março e domingo 26 de Outubro,
  • 2009: domingo 29 de Março e domingo 25 de Outubro,
  • 2010: domingo 28 de Março e domingo 31 de Outubro,
  • 2011: domingo 27 de Março e domingo 30 de Outubro.
Jornal Oficial nº C 083 de 17/03/2011 p. 0006 – 0006
Nos anos de 2012 a 2016, inclusivé, o início e o termo do período da hora de Verão são fixados, respectivamente, nas datas seguintes, à 1 hora da manhã, tempo universal:
  • 2012: domingo 25 de Março e domingo 28 de Outubro,
  • 2013: domingo 31 de Março e domingo 27 de Outubro,
  • 2014: domingo 30 de Março e domingo 26 de Outubro,
  • 2015: domingo 29 de Março e domingo 25 de Outubro,
  • 2016: domingo 27 de Março e domingo 30 de Outubro.

quinta-feira, 26 de março de 2015

Verão antecipado em Portugal continental.



Valores Elevados da Temperatura na semana da Páscoa

Informação Meteorológica Comunicado válido entre 2015-03-26 16:34 e 2015-03-31 23:59 Valores Elevados da Temperatura na semana da Páscoa A diminuição da intensidade do vento e a mudança gradual de circulação de norte para nordeste, que será mais notória nas regiões a sul do sistema montanhoso Montejunto-Estrela, irá originar subida da temperatura do ar, a partir do dia 27 e de forma mais generalizada a partir do dia 31 de Março.Os valores mais elevados da temperatura deverão ocorrer no vale do Tejo, interior do Alentejo e Algarve, onde a temperatura variará entre os 26 a 29ºC até ao dia 30, subindo para valores entre 27 e 31ºC a partir do dia 31, terça-feira. Nas regiões a norte de Coimbra, os valores da temperatura estarão entre os 20 e 25ºC, subindo para valores da ordem de 26 a 28ºC em alguns locais do interior, a partir de terça-feira.Nas regiões do litoral oeste, onde a corrente de norte será predominante, os valores da temperatura do ar dependerão da influência marítima, resultando num aumento da incerteza da previsão. Nesta região, até segunda-feira, dia 30, a temperatura terá valores entre os 17 a 22ºC, prevendo-se que, a partir do dia 31, suba para valores entre 23 a 26ºC no litoral a norte do Cabo Raso e entre 26 a 29ºC entre este cabo e Sagres.Estes valores da temperatura, na generalidade do território, estarão acima dos valores normais para época do ano. Na região Sul e no Ribatejo a temperatura máxima poderá atingir valores próximos dos valores absolutos para esta altura do ano. Qui, 26 Mar 2015 16:34:10 

sexta-feira, 20 de março de 2015

A origem das herdades no Alentejo

   As propriedades rústicas do Alentejo são, na maior parte, distribuidas em terrenos mais ou menos extensos chamados herdades.
   Essa distribuição teve origem em tempo de D. Afonso III que, abolindo as  jugadas estabelecidas por D.Afonso Henriques e os foros certos ou censos de D. Sancho I, deu as terras livres alodiais, separando a parte que reservou para si, em reguengos. Estes terrenos, passando em herança de pais para filhos, tomaram o nome de terras herdadas ou herdades.
   É a este  sistema de divisão de terreno em grandes propriedades livres, que se deve atribuir o defeito da falta de população, em que sempre esteve e ainda está todo o Alentejo. Mas ele foi naqueles tempos necessário.
   Das épocas anteriores à invasão árabe, nenhuns vestígios se encontram, que nos mostrem qual era a população dos extensos sertões situados entre o Sado e os serros de Monchique; entre o oceano e os plainos de Aljustrel e de Ourique. Eram provavelmente vastas e sombrias florestas de sobreiros, carvalhos e azinheiros, só habitadas pelos animais bravios.
   Nem o Celta, nem o Lusitano deixaram um só vestígio da sua existência nestes lugares, sem dúvida mais desertos então do que hoje. O legionário romano não curava de arrotear terras. Só conhecia a via militar, e o castro ou presídio a que ela o conduzia. O Godo, sempre em contínuas lutas, destruía sem produzir. Durante o domínio muçulmano, a agricultura atingiu certo grau de desenvolvimento, se atendermos aos vestígios da existência de casais agrícolas, situados no centro das matas, e apartados das povoações acasteladas. Estes vestígios são os nomes que ainda conservam algumas povoações rurais,tais como.
Alfardim,  Aduares, Almadamim, Almagede, Alcarial, Alcoleia, Feitais, Ademas, Afincerna ,Alqueivinhos ,Enxarafe   ,Fataca,  Alpendre , Lesiria, etc.

Herdade alentejana

   Desde esse tempo até aos primeiros  reis portugueses, as guerras e correrias continuadas entre moiros e cristãos assolaram, e deviam quase inteiramente despovoar, estes vastos territórios, que só poderiam ser de novo povoados assegurando-se aos colonos a posse das terras para si e para seus descendentes.
   Tal foi, segundo nos parece, o motivo que levou D. Afonso III a dividir o país em grandes propriedades, sem o qual estímulo, dificilmente seria povoado. *

Extraído de um artigo publicado no ano de 1860 no jornal  " O Bejense "







terça-feira, 17 de março de 2015

A vida tem destas coisas.

Tenho vindo a reparar o quão agradável é ter sido convidado e envolvido em alguns projectos a que não pude recusar a colaboração. Interessante o facto pelo cariz pessoal da proposta em questão, considerando-me uma mais valia como um todo resultante da minha experiência de longos anos.

Uma vida
Esclarecido que a experiência de vida não foi, nem nunca poderia ser, isenta ou imaculadamente sem nódoas. Não poderia permanecer intacto, pois não teria aprendido tanto. Liberto de regular os relacionamentos por valores de interesse e comodidade, espero poder distinguir e compreender a natureza das coisas e das situações. Siga-mos em frente pois !

sexta-feira, 13 de março de 2015

Uma boa notícia.



Ganimedes, a maior lua de Júpiter e do sistema solar, tem um vasto oceano de água salgada debaixo da espessa crosta gelada e maior do que todos os oceanos da Terra juntos, foi esta quinta-feira revelado.
 

Comparação de tamanhos entre a Lua, Terra e Ganimedes
 
As conclusões, que se baseiam nas observações do telescópio espacial Hubble, das agências espaciais norte-americana NASA e europeia ESA, confirmam o que os cientistas suspeitavam anteriormente.
"Um oceano profundo, sob a crosta gelada de Ganimedes, abre ainda mais possibilidades quanto à existência de vida para além da Terra", afirmou John Grunsfeld, responsável pela investigação na NASA, defendendo que a descoberta marca "uma etapa significativa".
Para o diretor da divisão de ciência planetária da NASA, Jim Green, este oceano "comunicou" com a superfície do satélite natural num passado longínquo.
Segundo os investigadores, o oceano tem uma profundidade de cem quilómetros, dez vezes maior do que a dos oceanos da Terra juntos, e está sob uma crosta de 150 quilómetros formada essencialmente por gelo.
Desde a década de 70 que os estudiosos de planetas suspeitavam, com base em modelos de estudo de grandes luas, que Ganimedes, descoberta em 1610 pelo astrónomo Galileu, poderia ter um oceano, lembrou um dos principais autores da investigação hoje divulgada, Joachim Saur, da Universidade de Colónia, na Alemanha.
As novas observações com o Hubble, a partir de raios ultravioleta, permitiram detetar e estudar as auroras nas regiões polares de Ganimedes, que, como as da Terra, são provocadas pelo campo magnético.
Ganimedes está sob influência do campo magnético de Júpiter, planeta gasoso do qual está próxima e que é o maior do sistema solar. Cada vez que o campo magnético de Júpiter muda, as auroras sobre Ganimedes também se alteram.
Observando o movimento das auroras, os cientistas conseguiram determinar a existência de um vasto oceano salgado debaixo da camada de gelo, que afeta o campo magnético do satélite de Júpiter.
Uma vez que a água salgada é condutora de eletricidade, o movimento do oceano influencia o campo magnético.
Ganimedes possui um diâmetro de 5.262 quilómetros, sendo, por isso, maior do que Mercúrio (4.879 quilómetros).
A existência de um oceano líquido sob uma camada de gelo já foi confirmada em Europa, outra das quatro maiores luas de Júpiter.
Recentemente, a NASA anunciou o envio de uma missão robótica para Europa, considerada, por um dos responsáveis científicos da agência espacial, Robert Pappalardo, como um dos lugares do Sistema Solar onde há maior probabilidade de ser encontrada vida.
O cientista explicou que a maior Lua de Júpiter tem uma crosta de gelo relativamente fina, sob a qual existe um oceano líquido em contacto com rochas profundas, é geologicamente ativa e é bombardeada por radiações que criam oxidantes e formam, ao misturarem-se com a água, uma energia ideal para alimentar a vida.
Na quarta-feira, a revista Nature noticiou a descoberta, por parte de investigadores norte-americanos, de que Encelado, uma Lua de Saturno, tem uma atividade hidrotermal, o que abre a possibilidade da existência de vida.
Os peritos analisaram os dados enviados pela sonda Cassini, da NASA/ESA, que revelaram poeiras de rocha ricas em silício ejetadas por geiseres (nascentes em erupção que lançam jatos de água quente e vapor).

quinta-feira, 12 de março de 2015

Uma questão de identidades, segundo a Google.

Atualização sobre a política de conteúdo pornográfico do Blogger

Esta semana, anunciamos uma mudança na política de pornografia do Blogger que declarava que blogs que distribuíssem imagens de sexo explícito ou nudez ostensiva passariam a ser privados.
Recebemos muitos comentários sobre o fato de fazer uma mudança na política que afeta blogs de longa data e sobre o impacto negativo que isso poderia ter sobre as pessoas que postam conteúdo sexualmente explícito, impedindo-as de expressar suas identidades.
Agradecemos os comentários. Em vez de fazer essa mudança, manteremos nossas políticas existentes.

segunda-feira, 9 de março de 2015

Conhece alguém assim ! ?

Da nota introdutória de Raúl Rêgo:
«[...] este código inquisitorial que, em muito breve, completará dois séculos. Não chegou a vigorar cinquenta anos. Ideias mais largas e generosas vindas dessa Europa em ebulição lavaram entretanto os ares da nossa terra, não sem dificuldades, emperramentos e sangue. É que o reaccionário português, falho de altura mental e de generosidade, intolerante até a medula, conhece apenas um meio de apostolado: o cacete. E é absolutamente incapaz de admitir que outros pensem de forma diferente da sua. É-lhe intolerável a ideia do progresso e nada é bom se não vier dos pais e avós. Ideias só as expressas na cartilha e quanto mais arrevezada for a ortografia melhor.
O Santo Ofício seria abolido pelas Constituintes liberais, já depois de soldados franceses terem talado o país e de a família real ter fugido para o Brasil. A própria Inquisição fora saqueada e o Inquisidor-geral desterrado para Bayonne. Mas depois da abolição quanta trabalheira ainda para convencer as gentes que a liberdade de ideias, de expressão, de culto, a tolerância, são virtudes essenciais a uma sociedade culta, bem organizada e progressiva! [...]»

Recorri a este excerto do livro " O Último Regimento da Inquisição Portuguesa "  porque, pareceu-me oportuno, considerando o que por vezes encontro nas chamadas redes sociais em que diferentes pontos de vista são considerados intoleráveis. Exemplifico com um " caso " passado comigo no qual que defendi como heterónimo de Cascais a palavra cascalense, e, o meu opositor, defendia cascaense. Ambas as grafias em meu modesto  entender e de alguns, esses sim ilustres  académicos,  estão correctas. Tanto bastou para que fosse apodado de desconhecedor das tradições, dos costumes e muito mais desta minha terra de sempre. Chegado a este patamar nada mais resta que pedir desculpas pelo incómodo, desejar muitas felicidades a tão ilustre senhor e dar por encerrado o debate. Foi o que fiz.







sábado, 7 de março de 2015

António Lobo Antunes vê assim portugal.

Portugal 


Agora sol na rua a fim de me melhorar a disposição, me reconciliar com a vida.

Passa uma senhora de saco de compras: não estamos assim tão mal, ainda compramos coisas, que injusto tanta queixa, tanto lamento.

Isto é internacional, meu caro, internacional e nós, estúpidos, culpamos logo os governos.

Quem nos dá este solzinho, quem é? E de graça. Eles a trabalharem para nós, a trabalharem, a trabalharem e a gente, mal agradecidos, protestamos.

Deixam de ser ministros e a sua vida um horror, suportado em estoico silêncio. Veja-se, por exemplo, o senhor Mexia, o senhor Dias Loureiro, o senhor Jorge Coelho, coitados. Não há um único que não esteja na franja da miséria. Um único. Mais aqueles rapazes generosos, que, não sendo ministros, deram o litro pelo País e só por orgulho não estendem a mão à caridade.

O senhor Rui Pedro Soares, os senhores Penedos pai e filho, que isto da bondade as vezes é hereditário, dúzias deles.

Tenham o sentido da realidade, portugueses, sejam gratos, sejam honestos, reconheçam o que eles sofreram, o que sofrem. Uns sacrificados, uns Cristos, que pecado feio, a ingratidão.

O senhor Vale e Azevedo, outro santo, bem o exprimiu em Londres. O senhor Carlos Cruz, outro santo, bem o explicou em livros. E nós, por pura maldade, teimamos em não entender. Claro que há povos ainda piores do que o nosso: os islandeses, por exemplo, que se atrevem a meter os beneméritos em tribunal.
Pelo menos nesse ponto, vá lá, sobra-nos um resto de humanidade, de respeito.

Um pozinho de consideração por almas eleitas, que Deus acolherá decerto, com especial ternura, na amplidão imensa do Seu seio. Já o estou a ver:
- Senta-te aqui ao meu lado ó Loureiro
- Senta-te aqui ao meu lado ó Duarte Lima
- Senta-te aqui ao meu lado ó Azevedo
que é o mínimo que se pode fazer por esses Padres Américos, pela nossa interminável lista de bem-aventurados, banqueiros, coitadinhos, gestores, que o céu lhes dê saúde e boa sorte e demais penitentes de coração puro, espíritos de eleição, seguidores escrupulosos do Evangelho. E com a bandeirinha nacional na lapela, os patriotas, e com a arraia miúda no coração. E melhoram-nos obrigando-nos a sacrifícios purificadores, aproximando-nos dos banquetes de bem-aventuranças da Eternidade.

As empresas fecham, os desempregados aumentam, os impostos crescem, penhoram casas, automóveis, o ar que respiramos e a maltosa incapaz de enxergar a capacidade purificadora destas medidas. Reformas ridículas, ordenados mínimos irrisórios, subsídios de cacaracá? Talvez. Mas passaremos sem dificuldade o buraco da agulha enquanto os Loureiros todos abdicam, por amor ao próximo, de uma Eternidade feliz. A transcendência deste acto dá-me vontade de ajoelhar à sua frente. Dá-me vontade? Ajoelho à sua frente  indigno de lhes desapertar as correias dos sapatos.

Vale e Azevedo para os Jerónimos, já!
Loureiro para o Panteão já!
Jorge Coelho para o Mosteiro de Alcobaça, já!
Sócrates para a Torre de Belém, já! A Torre de Belém não, que é tão feia. Para a Batalha.

Fora com o Soldado Desconhecido, o Gama, o Herculano, as criaturas de pacotilha com que os livros de História nos enganaram. Que o Dia de Camões passe a chamar-se Dia de Armando Vara. Haja sentido das proporções, haja espírito de medida, haja respeito.

Estátuas equestres para todos, veneração nacional. Esta mania tacanha de perseguir o senhor Oliveira e Costa: libertem-no. Esta pouca vergonha contra os poucos que estão presos, os quase nenhuns que estão presos como provou o senhor Vale e Azevedo, como provou o senhor Carlos Cruz, hedionda perseguição pessoal com fins inconfessáveis.

Admitam-no. E voltem a pôr o senhor Dias Loureiro no Conselho de Estado, de onde o obrigaram, por maldade e inveja, a sair.

Quero o senhor Mexia no Terreiro do Paço, no lugar de  D. José que, aliás, era um pateta. Quero outro mártir qualquer, tanto faz, no lugar do Marquês de Pombal, esse tirano. Acabem com a pouca vergonha dos Sindicatos. Acabem com as manifestações, as greves, os protestos, por favor deixem de pecar.

Como pedia o doutor João das Regras, olhai, olhai bem, mas vêde. E tereis mais fominha e, em consequência, mais Paraíso. Agradeçam este solzinho.

Agradeçam a Linha Branca.

Agradeçam a sopa e a peçazita de fruta do jantar.

Abaixo o Bem-Estar.

Vocês falam em crise mas as actrizes das telenovelas continuam a aumentar o peito: onde é que está a crise, então? Não gostam de olhar aquelas generosas abundâncias que uns violadores de sepulturas, com a alcunha de cirurgiões plásticos, vos oferecem ao olhinho guloso? Não comem carne mas podem comer lábios da grossura de bifes do lombo e transformar as caras das mulheres em tenebrosas máscaras de Carnaval.
Para isso já há dinheiro, não é? E vocês a queixarem-se sem vergonha, e vocês cartazes, cortejos, berros. Proíbam-se os lamentos injustos.

Não se vendem livros? Mentira. O senhor Rodrigo dos Santos vende e, enquanto vender o nível da nossa cultura ultrapassa, sem dificuldade, a Academia Francesa
.
Que queremos? Temos peitos, lábios, literatura e os ministros e os ex-ministros a tomarem conta disto.
Sinceramente, sejamos justos, a que mais se pode aspirar?

O resto são coisas insignificantes: desemprego, preços a dispararem, não haver com que pagar ao médico e à farmácia, ninharias. Como é que ainda sobram criaturas com a desfaçatez de protestarem? Da mesma forma que os processos importantes em tribunal a indignação há-de, fatalmente, de prescrever. E, magrinhos, magrinhos mas com peitos de litro e beijando-nos uns aos outros com os bifes das bocas seremos, como é nossa obrigação, felizes.

 
António Lobo Antunes
 
-País desenvolvido não é onde o pobre tem carro, é onde os políticos usam transporte público (Enrique Peñalosa).



sexta-feira, 6 de março de 2015

Televisão & tauromaquia.

Poderia comentar este assunto porém limito-me a expô-lo tal como o recebi.



[Clique na foto acima e partilhe-a no Facebook, incrementando assim o impacto desta campanha]

= Escreva JÁ ao NOVO Conselho de Administração da RTP! =

A tauromaquia pode vir a perder o apoio da RTP! Estamos numa fase de transformação em que a opinião dos cidadãos e cidadãs é valorizada :)

Esperando que esta campanha resulte, pedimos-lhe que envie, directamente para o novo Conselho de Administração da RTP, a sua opinião sobre o apoio que esta empresa pública dá, mas não deve continuar a dar, à tauromaquia.


Mensagem sugerida:

Aos membros do novo Conselho de Administração da RTP: 

Exmos. Srs./Sra.,
Dr. Gonçalo Reis,
Dr. Nuno Silva,
Eng.ª Cristina Tomé,

Foi com agrado que tomei conhecimento que entre as linhas estratégicas definidas pelo recém criado Conselho Geral Independente consta “envolver e escutar os cidadãos” naquela que se quer “uma empresa aberta à sociedade e ao país” (http://www.rtp.pt/wportal/grupo/cgi/LOE_pdf.php).

Estando esse recém eleito Conselho de Administração a preparar um “programa de transformação da RTP” (http://www.rtp.pt/wportal/grupo/cgi/PE_pdf.php) considero oportuno expor a minha perspectiva sobre aquela que tem sido, mas não deve continuar a ser, a postura da RTP em relação à tauromaquia.

A RTP tem vindo a envolver-se na promoção, organização e exibição de touradas, desrespeitando não só os animais como as pessoas que por eles sentem compaixão. Tem insistido em fazê-lo, desvalorizando o seu mais volumoso processo de queixas (http://youtu.be/xQbaNCYkxU4) e dando uma péssima utilização às suas receitas, maioritariamente provenientes da contribuição para o audiovisual, não prestando sequer contas sobre gastos com tauromaquia (http://youtu.be/39o-ZZp20cU). Não é, pois, de estranhar que não mereça a confiança de pessoas como eu e tenha uma imagem tão descredibilizada.

Pelos animais vítimas da tauromaquia, pelas cidadãs e cidadãos que por eles sentem compaixão e pelo progresso moral de Portugal, apelo a V. Exas. para que definam, desde já, orientações de gestão conducentes ao fim de qualquer tipo de envolvimento da RTP com touradas e restantes atividades tauromáquicas, com particular destaque para a promoção e transmissão destas.

Agradecendo muito a atenção dispensada,
Com os melhores cumprimentos,
(Nome)
Área de anexos
Pré-visualizar vídeo do YouTube Qual o processo mais volumoso de queixas da RTP? Contra a emissão de touradas.

Pré-visualizar vídeo do YouTube Quanto custa a transmissão de uma tourada? O Provedor do Telespectador (2012) "responde"!

segunda-feira, 2 de março de 2015

Março em Cascais.

Este inicio de Março a meu ver está perfeito em todos os aspectos. ( De política não falo ). Noites tranquilas, alguns chuviscos e o que é também importante pouco frio. Já o mesmo não podem dizer os norte americanos pois em 49 dos 50 estados pelo que se diz e lê, a neve, o gelo e o frio estão para durar. Igualmente o norte de Espanha foi fustigado com chuvas diluvianas.
 Sinto-me particularmente bem disposto com o nosso  clima meteorológico, embora haja quem afirme que um pouco de chuva aqui para o centro e sul  seria bem vinda. Concordo.
Esta escrita dá a impressão, ou razão, a quem defende a tese de que quem nada tem para dizer fala do tempo. Puro engano. Há muito para dizer como por exemplo que   2014: foi o melhor ano de sempre no Turismo em Cascais  O feio edifício que há anos permanecia junto da estação dos comboios, o antigo Hotel Nau, finalmente vai ser demolido, coisa para levar cinco meses, que está aberta a discussão pública do P.D.M. até 26 de Março, que as ovelhas campaniças da Quinta do Pisão, habitantes desde 2012 daquele espaço constam do livro genealógico da raça em  Cascais.
  Que de 14 a 22 deste mês temos uma semana do ambiente e, entre outras coisas a vida de mais alguns conterrâneos  que por esse mundo  elevam o nome da terra. Para descrever em detalhe tudo isto teria de transcrever o muito bom jornal editado pelo Departamento de Comunicação da Câmara Municipal que gratuitamente nos disponibiliza estes e outros assuntos. Fica assim um resumo deste Março que se deseja sereno.