segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Cascais Ambiente . Help the victims !!!.

 Continuam os atentados à natureza e, no caso presente, aos pobres passarinhos que por esta altura do ano migram do continente europeu para o africano afim de passarem o inverno. Estas fotos obtive-as nas margens da ribeira das Vinhas junto á ponte de ferro que a transpõe  ao fundo do Vale Travesso ali nas chamadas Penhas do Marmeleiro, em Murches. Como se não bastasse, por todo o caminho que percorri de bicicleta, encontrei vestígios das ratoeiras que um ou mais energúmenos ali colocam em plena luz do dia, a qualquer hora e na maior das impunidades. Percorri uns poucos Km e, por mero acaso, encontrei na Qtª do Pisão dois funcionários da Cascais Ambiente com quem troquei umas impressões sobre o caso demonstrando-lhes a minha indignação. Afirmaram nada poderem fazer ainda que os actos criminosos ocorressem em propriedade sob a sua jurisdição como afirmaram e fácilmente se comprova, o que compreendi, dado não serem agentes policiais.  Porém estando   fardados e com uma carrinha pick-up ao seu dispor, em meu entender, bastaria a sua presença para pelo menos dissuadir os eventuais criminosos. Para o efeito deslocar-se-iam ao local retirariam as ratoeiras e abordariam o, ou, os sujeitos.
Porém... se até alguns se dão ao luxo de ali erguerem " cancelas " como se tudo aquilo fosse privado.

Uma pergunta...de que anda a Polícia Municipal, ou a G.N.R. com a sua S.E.P.N.A. à espera para ali passarem ? Idealmente em dias de céu limpo, com a serra sem nevoeiro e um ligeiro vento norte / nordeste ou leste. É certinho que são bem sucedidos.


Depenar as avezinhas no local do atentado e deixar os vestígios.
Até um assento o criminoso ( ou os criminosos) ali têm

 Enfim...mentalidades que se  inserem  no contexto de restante património que tanto custou a edificar e que está no mais completo abandono de que são exemplo flagrante o passadiço das  Penhas do Marmeleiro.


Era assim ...

Abandono completo.

Porquê ?

                     Após o incêndio de meados de Julho ainda resta isto por queimar...será?


  E, no entanto, em Vale Travesso do passadiço  pouco resta e mesmo esse pouco está à mercê do fogo o que aliás sucedeu há bem pouco tempo com a destruição de parte dele. Houvesse vontade de quem de direito e nada disto se veria. Quanto custou o combate a esse incêndio ?

Quatro meios aéreos, dois pesados " Canadair " e dois ligeiros a que acresce dezenas de veículos dos sempre obnegados bombeiros os quais até sofreram na pele alguns ferimentos. Mas isto é outra história que um dia será contada.


Escusadamente.

O fim do passadiço ?

Porquê ?

Porquê ?

Porquê ?

Mas há mais e mais situações que ocorrem pelo concelho sem que haja aparente vontade de as atenuar.
Digo isto como cascalense e não gostaria de serem  estas minhas palavras conotadas com qualquer critica a alguma organização partidária. Nada disso. Amo a minha terra e por ela pugno.


domingo, 27 de setembro de 2015

Motard em passeio pela Serra de Sintra.

Serra de Sintra



Por vezes um passeio  por esses caminhos de encanto que, para mim, são quase todos os asfaltados desta bela serra, constituem uma alternativa agradável aos que me leva a bicicleta por esses outros mais remotos e inacessíveis à moto, nos quais encontro tantos e bastos motivos de interesse.



   E não sou o único como é sabido!

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Portugal e os " restos " do ex-ciclone Henri. Antes e depois.



Precipitação forte e vento intenso a norte do Mondego nos dias 15 e 16 de setembro de 2015

Informação Meteorológica Comunicado válido entre 2015-09-14 12:23 e 2015-09-16 23:59 Precipitação forte e vento intenso a norte do Mondego nos dias 15 e 16 de setembro de 2015 Uma depressão com origem no ex-ciclone tropical Henri, centrada no início do dia de hoje, 14 de setembro 2015, a norte dos Açores, irá aproximar-se da Corunha na madrugada do dia 15, dirigindo-se para o Golfo da Biscaia durante a tarde. Neste trajeto irá verificar-se uma descida acentuada dos valores da pressão, atingindo o valor mais baixo, inferior a 980 hPa, no Golfo da Biscaia no início da tarde do dia 15.Os efeitos desta depressão no território do Continente irão prolongar-se até ao final do dia 16, originando precipitação forte e vento intenso as regiões a norte do Mondego.As maiores quantidades de precipitação irão ocorrer no Minho, Douro Litoral e Beira Litoral, na tarde de 15 e noite de 16, onde poderão ultrapassar 100mm em 24 horas.O vento forte começará por atingir as regiões do litoral Norte, na manhã do dia 15, e depois as regiões do interior Norte e Centro, prolongando-se até ao final da manhã do dia 16, afetando com menor intensidade a região Sul. Rajadas de vento da ordem de 90km/h atingirão a generalidade das regiões a norte do Mondego, prevendo-se rajadas superiores a 110 km/ nas terras altas.Esta depressão irá causar agitação marítima forte na costa ocidental portuguesa a norte do Cabo Raso.Para mais informações consultar os avisos meteorológicos emitidos pelo IPMA:https://www.ipma.pt/pt/otempo/prev-sam/ Seg, 14 Set 2015 12:23:58 

Obs: sublinhados a negrito de minha responsabilidade.
Foto. de minha autoria.
A norte do Cabo Raso...



 E depois foi assim !

Precipitação forte e vento intenso a norte do Mondego 15 e 16 de setembro de 2015
imagem radar 15 set 20152015-09-17 (IPMA)
 Nos dias 15 e 16 de setembro de 2015 Portugal continental foi afetado por um sistema depressionário, que se deslocou da região atlântica a norte dos Açores em direção ao norte da Península Ibérica, sofrendo um processo rápido de cavamento. Às 13 horas locais (12 UTC) do dia 15 um núcleo depressionário centrou-se a norte da Corunha (Figura 1), com o valor mínimo de pressão de 990 hPa, dirigindo-se para o Golfo da Biscaia e para a Bretanha na noite de 15 e no dia 16.
Este sistema depressionário e o sistema frontal a ele associado, veio originar precipitação forte e persistente nas regiões do Norte e Centro, em especial nas regiões a norte do Mondego. Entre as 00 horas do dia 15 e as 12UTC do dia 16, ocorreram valores da precipitação acumulada em 24 horas, superiores a 100mm no Minho, em Trás - os - Montes, no Douro Litoral e Beira Litoral, registando-se os valores mais elevados no Cabril (171mm), Luzim (142 mm), Cabeceiras de Basto (125mm), Arouca e Viseu (122mm) e Montalegre (111 mm). Em contrapartida, nas regiões a sul do rio Mondego e, em especial, no Alentejo e Algarve, os valores da precipitação acumulada em 24 horas foram muito inferiores (Figura 2), não se tendo registado precipitação no sueste alentejano e no Algarve até às 09:00UTC do dia 16.

As quantidades da precipitação acumulada em 6 horas foram superiores a 50 mm, e localmente superiores a 60 mm, em vários locais do Minho, do Douro Litoral e Beira Litoral, como sugere a Figura 3.
A imagem da Figura 3 mostra a precipitação acumulada em 6 horas (entre as 10 e as 16 UTC do dia 15) obtida pelo radar de AROUCA (A/PG), com base em observações efetuadas pelo feixe radar à menor altitude possível acima do solo e com integração temporal de 5 em 5 minutos. Nesta imagem verifica-se que os valores mais elevados neste período ocorreram nos distritos de Braga e Porto. Dada a diferença típica entre os valores de precipitação do radar e dos registados no udómetro, pode estimar-se, para esta situação, valores máximos que poderão ter atingido 110 mm em 6 horas, em alguns locais.

O vento soprou do quadrante sul, com os valores mais intensos a registarem-se a partir do final da tarde do dia 15, observando-se intensidades do vento entre 40 e 55 km/h nas terras altas e em alguns locais do litoral Norte e Centro. Os valores máximos de rajada ocorreram no final do dia 15 e madrugada do dia 16, tendo-se registado valores da ordem de 90km/h ou superior em vários locais, nomeadamente, 100 km/h no Mogadouro, 99km/h na Pampilhosa da Serra, 92 km/h em Cabeceiras de Basto e Penhas Douradas.

Na costa ocidental portuguesa, na bóia de Leixões do Instituto Hidrográfico, foram registadas ondas com altura significativa de 4,5 metros e altura máxima de 7 metros.

domingo, 13 de setembro de 2015

Milionário Alta Pressão

www.rtp.pt/play/p1857/quem-quer-ser-milionario-alta-pressão 

Quem dos meus amigos quer ver a minha prestação  ?

 Foi no passado dia 10 e está disponível no site do concurso até ao próximo dia 18.
Sou " logo " o primeiro a ir à cadeira !


segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Serra de Sintra. Incêndio de 1966. Honra e Patriotismo.

Voltei à pouco da Serra de Sintra onde fui dar o meu passeio de bicicleta. Consciente do dia que era o de hoje desloquei-me ao Alto do Monge e, foi sem surpresa, que assisti às cerimónias evocativas do trágico dia 7 de Setembro de 1966. Esta efeméride só honra as partes presentes Exército, Bombeiros e Autoridades Civis.
Já lá vão 49 anos mas os Patriotas nunca esquecem os seus. Bem hajam.














terça-feira, 1 de setembro de 2015

Amigos para Setembro

Donec eris felix ...Há um fundo de verdade neste lugar comum, mas também no conceito oposto. Um homem de sucesso nunca terá falta de gente ansiosa de estar à sua volta, seja para dele usufruir, ou pelo simples prazer de mergulhar na sua influência.
   Pelo contrário nada há a ganhar na companhia de um homem na adversidade. Mas, por outro lado, um infeliz é um ser inferior, e por isso não chega a desagradar. Os que têm piedade dele, gozam mais as vantagens que sobre ele têm, tal como os que visitam um doente se sentem mais aconchegados na sua saúde.
   Temos muitos amigos para nos desejar que não sejamos atropelados nem afogados; resta-nos ainda um bom número para nos desejar uma prosperidade medíocre; mas para nos desejar toda a felicidade que se possa ter, só os nossos  verdadeiros amigos.
   Se apesar de todos os nossos esforços não alcançarmos nada, será opinião geral que é muito azar. Mas se os nossos negócios tomarem um rumo melhor, então, esses mesmos que lamentavam o nosso azar, passam a achar excessiva a nossa sorte: o sentimento de justiça que sofria por nos ver acabrunhados não deixa de se irritar com a nossa boa fortuna.
Amizade antiga.

   E no fim, não resistem, e juntam-se aos nossos inimigos. Assim, não há dúvida que, se o sucesso nos traz amigos, ele também nos tira amigos, e podemos mesmo dizer que tais partidas marcam uma mudança no nosso destino, tal como a migração dos pássaros marca uma mudança de estação. Existe muita generosidade aparente, mas muita pouca generosidade real em socorrer um infeliz.
É demasiado fácil.( ... ) Mas quando um amigo nos desmente aquilo que dele pensávamos, o nosso próprio conceito de humanidade é abalado, e o número de homens existentes apenas nos leva a sentir ainda mais horrivelmente a nossa solidão ( ... ) O solitário é como o astrónomo, tem os olhos cheios de estrelas. Ele não está só; mas ele já só tem amizades sublimes. ( ... ) Resta-lhe, se for poeta, o encantador poder de conquistar amizades para além dos homens; com o se sentir isolado enquanto puder contemplar o abastado povo das nuvens ou admirar uma paisagem repleta do vago sorriso das coisas, ou ainda participar nesta festa que são os campos em flor, perto dos quais os bailes mais faustosos pareceriam tristes e poeirentos?  Se não for capaz de tais alegrias ingénuas, resta-lhe o austero paraíso das bibliotecas, a vasta elite dos mortos e das noites de estudo onde todos os génios se reúnem `a volta dum candeeiro. *

A Amizade
Autor Abel Bonnard.
Ano  de 1923.