segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Portugal e os " restos " do ex-ciclone Henri. Antes e depois.



Precipitação forte e vento intenso a norte do Mondego nos dias 15 e 16 de setembro de 2015

Informação Meteorológica Comunicado válido entre 2015-09-14 12:23 e 2015-09-16 23:59 Precipitação forte e vento intenso a norte do Mondego nos dias 15 e 16 de setembro de 2015 Uma depressão com origem no ex-ciclone tropical Henri, centrada no início do dia de hoje, 14 de setembro 2015, a norte dos Açores, irá aproximar-se da Corunha na madrugada do dia 15, dirigindo-se para o Golfo da Biscaia durante a tarde. Neste trajeto irá verificar-se uma descida acentuada dos valores da pressão, atingindo o valor mais baixo, inferior a 980 hPa, no Golfo da Biscaia no início da tarde do dia 15.Os efeitos desta depressão no território do Continente irão prolongar-se até ao final do dia 16, originando precipitação forte e vento intenso as regiões a norte do Mondego.As maiores quantidades de precipitação irão ocorrer no Minho, Douro Litoral e Beira Litoral, na tarde de 15 e noite de 16, onde poderão ultrapassar 100mm em 24 horas.O vento forte começará por atingir as regiões do litoral Norte, na manhã do dia 15, e depois as regiões do interior Norte e Centro, prolongando-se até ao final da manhã do dia 16, afetando com menor intensidade a região Sul. Rajadas de vento da ordem de 90km/h atingirão a generalidade das regiões a norte do Mondego, prevendo-se rajadas superiores a 110 km/ nas terras altas.Esta depressão irá causar agitação marítima forte na costa ocidental portuguesa a norte do Cabo Raso.Para mais informações consultar os avisos meteorológicos emitidos pelo IPMA:https://www.ipma.pt/pt/otempo/prev-sam/ Seg, 14 Set 2015 12:23:58 

Obs: sublinhados a negrito de minha responsabilidade.
Foto. de minha autoria.
A norte do Cabo Raso...



 E depois foi assim !

Precipitação forte e vento intenso a norte do Mondego 15 e 16 de setembro de 2015
imagem radar 15 set 20152015-09-17 (IPMA)
 Nos dias 15 e 16 de setembro de 2015 Portugal continental foi afetado por um sistema depressionário, que se deslocou da região atlântica a norte dos Açores em direção ao norte da Península Ibérica, sofrendo um processo rápido de cavamento. Às 13 horas locais (12 UTC) do dia 15 um núcleo depressionário centrou-se a norte da Corunha (Figura 1), com o valor mínimo de pressão de 990 hPa, dirigindo-se para o Golfo da Biscaia e para a Bretanha na noite de 15 e no dia 16.
Este sistema depressionário e o sistema frontal a ele associado, veio originar precipitação forte e persistente nas regiões do Norte e Centro, em especial nas regiões a norte do Mondego. Entre as 00 horas do dia 15 e as 12UTC do dia 16, ocorreram valores da precipitação acumulada em 24 horas, superiores a 100mm no Minho, em Trás - os - Montes, no Douro Litoral e Beira Litoral, registando-se os valores mais elevados no Cabril (171mm), Luzim (142 mm), Cabeceiras de Basto (125mm), Arouca e Viseu (122mm) e Montalegre (111 mm). Em contrapartida, nas regiões a sul do rio Mondego e, em especial, no Alentejo e Algarve, os valores da precipitação acumulada em 24 horas foram muito inferiores (Figura 2), não se tendo registado precipitação no sueste alentejano e no Algarve até às 09:00UTC do dia 16.

As quantidades da precipitação acumulada em 6 horas foram superiores a 50 mm, e localmente superiores a 60 mm, em vários locais do Minho, do Douro Litoral e Beira Litoral, como sugere a Figura 3.
A imagem da Figura 3 mostra a precipitação acumulada em 6 horas (entre as 10 e as 16 UTC do dia 15) obtida pelo radar de AROUCA (A/PG), com base em observações efetuadas pelo feixe radar à menor altitude possível acima do solo e com integração temporal de 5 em 5 minutos. Nesta imagem verifica-se que os valores mais elevados neste período ocorreram nos distritos de Braga e Porto. Dada a diferença típica entre os valores de precipitação do radar e dos registados no udómetro, pode estimar-se, para esta situação, valores máximos que poderão ter atingido 110 mm em 6 horas, em alguns locais.

O vento soprou do quadrante sul, com os valores mais intensos a registarem-se a partir do final da tarde do dia 15, observando-se intensidades do vento entre 40 e 55 km/h nas terras altas e em alguns locais do litoral Norte e Centro. Os valores máximos de rajada ocorreram no final do dia 15 e madrugada do dia 16, tendo-se registado valores da ordem de 90km/h ou superior em vários locais, nomeadamente, 100 km/h no Mogadouro, 99km/h na Pampilhosa da Serra, 92 km/h em Cabeceiras de Basto e Penhas Douradas.

Na costa ocidental portuguesa, na bóia de Leixões do Instituto Hidrográfico, foram registadas ondas com altura significativa de 4,5 metros e altura máxima de 7 metros.