quarta-feira, 11 de novembro de 2015

1755 foi há tanto tempo.

"Tsunami idêntico ao de 1755 vai voltar a acontecer"

O vice-presidente do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território, José Luís Zêzere acredita que Lisboa pode ficar "muito maltratada".


Lisboa anterior a 1755
"O risco de sismo em Portugal é moderado, tendo em conta o resto do mundo. Mas este risco moderado traz uma má notícia: como o período de retorno é elevado, ou seja, como não há sismos grandes com muita frequência, as pessoas têm falta de memória acerca dessas ocorrências", disse em entrevista ao jornal i.
O vice-presidente do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território exemplificou com "o último sismo que matou pessoas em 1909", sendo que "não há ninguém vivo que se lembre". Quando questionado sobre as zonas mais vulneráveis em Portugal admitiu que "as falhas que originam os principais sismos que podem causar danos em Portugal não são no país, mas sim no mar, principalmente a sudoeste do cabo de S. Vicente. As zonas mais vulneráveis serão em todo o Algarve, o litoral do Alentejo e Vale do Tejo, incluindo, obviamente, Lisboa". 
Para José Luís Zêzere, "os tsunamis mais importantes, com equivalência ao que ocorreu em 1755, têm praticamente a mesma probabilidade de ocorrência que tem um sismo desses. A probabilidade é baixa, mas sabemos que os danos vão ser muito elevados". 
"Também digo que é relativamente seguro que um tsunami com as características do de 1755 vai voltar a acontecer", sublinhou, acrescentando que "Lisboa poderá ficar muito maltratada, mas não vai desaparecer".
"Por cada dia que passa e que não temos um sismo grande, é um dia que estamos mais próximos de vir a acontecer", rematou.