quinta-feira, 10 de abril de 2014

Pintores da natureza


Vindos do século XVIII, dois grandes vultos inauguram a pintura  neoclássica portuguesa: Francisco Vieira, o Portuense ( 1765 / 1805, e Domingos António de Sequeira ( 1768 / 1837. Vieira Portuense ( assim chamado para o distinguir do outro Francisco Vieira, o Lusitano ) foi aluno de seu pai, um pintor sem história, e do francês Pillement, na cidade do Porto. Sem dúvida, as suas melhores composições são as paisagens, em que Vieira se revela já um precursor do Romantismo, como, por exemplo, na tela  a fuga de Margarida de Anjou, do Museu Nacional de Soares dos Reis. Infelizmente a sua vida foi demasiado curta para o seu talento.
Sequeira, que estudou em Roma juntamente com o Portuense, já aí se distinguiu a ponto de ser nomeado professor da Academia de S. Lucas. Voltando a Portugal em 1795, a sua vida decorre  com extrema agitação, a que não foram alheias as vicissitudes da política nacional desta época e nas quais Sequeira largamente se envolveu.Por isso os últimos dez anos da sua vida são passados em exílio voluntário, em Roma,onde morreu. Onde Sequeira  melhor evidenciou os seus dotes foi no desenho, em que se revelou um artista profundamente sensível e de admirável facilidade.
   Os dois grandes pintores de que acabamos de falar eclipsam de tal modo os seus contemporâneos que quase nem vale a pena citar nomes, mesmo dos melhores. Um Teixeira Barreto, que estudou em Roma junto com Vieira Portuense; um Cunha Taborda ou um Cirilo Volkmar Machado, decoradores da Ajuda e mais conhecidos pela sua obra histórico-literária do que pela sua pintura; um Joaquim Rafael, fa-presto do seu tempo; um António Manuel da Fonseca, encarnação do academismo neoclássico...
   Em Lisboa o mais velho dos pintores românticos é Tomás da Anunciação ( 1818 / 1879 ), que foi um paisagista apreciável e chegou a dirigir a Academia lisboeta. Cristino da Silva ( 1829 / 1877 ) será o outro fundador da pintura de paisagem entre nós, tendo ocupado, por breve tempo, o lugar de professor da cadeira respectiva, na Academia de Lisboa. 


 
Cinco Artistas em Sintra



A sua obra mais conhecida é a tela intitulada Cinco Artistas em Sintra, de 1885, em que se retratou a si próprio, ao escultor Vitor Bastos e a Metrass, José Rodrigues e Anunciação - este no acto de pintar, em plena natureza, rodeado de camponeses. ( 1 )

( 1 ) História da Arte em Portugal
       Flórido de Vasconcelos
      Editorial Verbo 1972


 Ao transcrever este texto achei por bem que esta análise de Flórido de Vasconcelos fosse compartilhada. Apenas isso. Como pintores paisagistas a minha preferência vai para José Malhoa e Falcão Trigoso.