segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Incêndio de 1966 na Serra de Sintra. 48 anos passaram.

 Quarenta e oito anos sempre lembrados.
Foram ontem singela e, sem aparato, evocadas as memórias daquele fatídico dia 7 de Setembro de 1966.




Memorial

Presentes no local estiveram como sempre, ano após ano, os representantes do Exército Português.
A seu lado disseram «  Presente  »  algumas outras entidades tais como Bombeiros, Protecção Civil,  Câmara Municipal de Sintra e Junta de Freguesia de Monte Abraão.
Exército Português

Colocados por um pelotão militar oriundo da Unidade a que pertenceram os jovens ali falecidos, heróicamente em 1966 o R A.A.F de Queluz, hoje em dia R.A.A.A.. nº1, vários ramos de flores junto ao Seu  memorial.



Terminada a cerimónia cerca do meio dia, neste local, foram de seguida e, de novo, prestadas novas homenagens no exacto local da tragédia  o qual  dista dali  cerca de quinhentos metros. Encontra-se devidamente referenciado por placas alusivas bem como por 25 ciprestes, árvores ali plantadas há uns anos simbolizando cada vida   perdida.
Troquei aqui breves impressões com as Altas Entidades presentes tendo compartilhado algumas das minhas memórias do Incêndio.

Altas Entidades  Militares e Civis presentes ontem na homenagem.

Tinha eu doze anos nessa data e nem por isso algumas imagens da minha serra em agonia se me varreram da memória. Bem pelo contrário.
Se aqui não refiro alguma entidade presente ou que eventualmente se fez representar as minhas desculpas. O mesmo direi acerca de familiares das vítimas.